Pular para o conteúdo

Taping em cirurgia plástica

  • Autor: Fernando Amato ,
  • publicado em:

Tape, taping ou tapping?

Ambos os termos “tape” e “taping” podem ser usados ​​para se referir à técnica de aplicação de fitas adesivas na pele em cirurgia plástica e em outros campos da medicina. “Tape” é a palavra em inglês que significa fita adesiva, e “taping” é o processo de aplicação da fita adesiva. No entanto, em português, é comum usar o termo “taping” para se referir à técnica de aplicação das fitas adesivas na pele em procedimentos médicos e fisioterapia.

Quais são as vantagens do taping em cirurgia plástica?

O taping é uma técnica comumente utilizada em cirurgia plástica, que consiste em aplicar fitas adesivas especiais na pele após o procedimento cirúrgico. Essa técnica oferece diversas vantagens que podem contribuir para uma recuperação mais rápida e eficiente. Aqui estão algumas delas:

  1. Redução do inchaço: O taping pode ajudar a reduzir o inchaço pós-cirúrgico, que é uma das principais queixas dos pacientes após uma cirurgia plástica. Então, as fitas adesivas aplicadas na pele comprimem os tecidos subcutâneos, reduzindo a quantidade de líquido acumulado nas áreas afetadas.

  2. Melhora da cicatrização: O taping também pode melhorar a aparência das cicatrizes pós-cirúrgicas. As fitas adesivas fornecem uma cobertura protetora que mantém a área afetada limpa e protegida contra infecções. Além disso, a pressão exercida pelas fitas adesivas pode ajudar a alinhar as bordas da incisão, favorecendo a cicatrização.

  3. Conforto: O taping pode proporcionar mais conforto aos pacientes durante o período de recuperação. Além disso, as fitas adesivas são macias e flexíveis, o que reduz a irritação da pele e evita o atrito com as roupas ou curativos.

  4. Suporte: O taping pode fornecer suporte às áreas afetadas durante a recuperação. As fitas adesivas podem ser aplicadas em áreas específicas por profissionais médicos para ajudar a manter a posição dos tecidos e evitar o deslocamento de implantes, por exemplo.

  5. Redução de hematomas: O taping pode ajudar a reduzir a formação de hematomas após a cirurgia. Portanto, a pressão exercida pelas fitas adesivas ajuda a reduzir o fluxo sanguíneo para a área afetada, o que pode prevenir a formação de hematomas e reduzir a extensão daqueles já existentes.

LEIA  Tecnologia aliada à medicina para esculpir o contorno corporal

Em resumo, o taping é uma técnica simples e segura que pode oferecer diversas vantagens para os pacientes em recuperação após uma cirurgia plástica. Além disso, ele pode ajudar a reduzir o inchaço, melhorar a aparência das cicatrizes, proporcionar mais conforto, fornecer suporte e reduzir a formação de hematomas. Então, é importante ressaltar que um profissional qualificado deve aplicar o taping, seguindo as instruções específicas do cirurgião plástico, para garantir uma recuperação segura e eficiente.

Quais são os riscos do taping?

Embora o taping seja uma técnica comumente utilizada em cirurgia plástica e ofereça diversas vantagens para os pacientes em recuperação, como mencionado anteriormente, existem alguns riscos associados ao seu uso. Aqui estão alguns deles:

  1. As fitas adesivas podem causar irritação na pele, especialmente se forem deixadas por muito tempo ou se o paciente tiver pele sensível. Isso pode causar vermelhidão, coceira, queimação e até mesmo erupções cutâneas.

  2. Infecções: O uso prolongado das fitas adesivas pode criar um ambiente úmido e abafado na pele, o que pode favorecer o crescimento de bactérias e levar a infecções. É importante que o paciente mantenha a área afetada limpa e seca para evitar esse risco de irritação na pele.

  3. Alergias: Alguns pacientes podem ser alérgicos ao material das fitas adesivas, o que pode causar reações alérgicas, incluindo coceira, inchaço e erupções cutâneas. É importante informar o cirurgião plástico sobre qualquer alergia conhecida antes de utilizar as fitas adesivas.

  4. A aplicação excessivamente forte ou o uso prolongado das fitas adesivas pode causar danos à pele devido à pressão exercida. Isso pode levar a feridas, bolhas e até mesmo cicatrizes.

  5. Redução da mobilidade: O taping pode restringir a mobilidade em áreas específicas do corpo, o que pode dificultar a realização de atividades diárias, como vestir-se e tomar banho.

LEIA  Explante mamário é uma das tendências para 2021

Contudo, um profissional qualificado deve aplicar o taping seguindo as orientações do cirurgião plástico para garantir uma recuperação segura e eficaz, minimizando os riscos. Porque você deve comunicar qualquer desconforto ou reação adversa ao cirurgião.

Qual o melhor momento de realizar o Taping?

Assim, o momento ideal para realizar o tape em cirurgia plástica depende do objetivo da aplicação e do tipo de cirurgia realizada. Portanto, aqui estão algumas diretrizes gerais:

  1. Os médicos podem aplicar o tape logo após cirurgias que causam edema, como abdominoplastia ou lipoaspiração, para reduzir o inchaço e a dor. Eles o removem após alguns dias.

  2. Os cirurgiões podem aplicar o tape para dar suporte à cicatriz em cirurgias que deixam cicatrizes visíveis, como aumento de mama ou lifting facial, após a remoção dos pontos. O tape ajuda a proteger a cicatriz e a mantê-la plana, minimizando a aparência da cicatriz.

  3. O tape pode ser aplicado imediatamente após a cirurgia em pacientes com maior risco de desenvolver queloide, uma cicatriz elevada e grossa, para prevenir seu desenvolvimento.

Em suma, é importante lembrar que a aplicação de tape deve ser feita por um profissional treinado e experiente. Além disso, o uso inadequado do tape pode levar a efeitos colaterais indesejáveis, como irritação da pele, erupção cutânea e infecção.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Dr. Fernando Amato

Dr. Fernando Amato

Cirurgião Plástico CRM/SP 133826