Pular para o conteúdo

Abdominoplastia no ex-obeso

  • Autor: Fernando Amato ,
  • publicado em:

ABDOMINOPLASTIA (Dermolipectomia abdominal) NO EX-OBESO

  ABDOMINOPLASTIA (Dermolipectomia abdominal) NO EX-OBESO

Pacientes submetidos a grandes perdas ponderais (perda de peso), seja por dieta, dieta e medicamentos, ou cirurgia bariátrica, podem ter como queixa principal o grande excesso de pele no abdômen, conhecido como abdômen em avental. Além de ser esteticamente desagradável, pode ser causa de dermatites (infecções de pele) e celulites, principalmente por dificultar a higiene pessoal.
É considerado uma cirurgia RECONSTRUTORA, por isso é coberta pelas seguradoras e planos de saúde, assim como deveria ser realizada no Sistema Único de Saúde (SUS), mas pode ser difícil conseguir autorização e liberação
É uma cirurgia realizada tanto em homenscomo em mulheres.
Pode ser associada a correção de hernias na linha mediana (hernia epigástrico, hernia umbilical, hernia incisional), assim como a correção da diástase de músculo reto abdominal (afastamento dos ventres laterais do músculo) e correção de cicatrizes prévias.
Além disso pode ser associada a lipoaspiração e as demais cirurgias do ex-obeso (Braço, Mama e Coxa),
*mas por sua extensão, e as demais condições e comorbidades do paciente (diabetes, hipertensão, etc…), o tempo cirúrgico deve ser mais rápido, e assim diminuir o risco de complicações como sangramento, trombose venosa profunda (TVP), infeção, e outros.

Quais são as condições para realizar uma abdominoplastia após uma cirurgia bariátrica?
  • Espera-se que o paciente esteja em sua melhor condição clínica no momento da cirurgia, ou seja, doenças existentes controladas.
  • Pacientes que foram submetidos a cirurgia bariátrica, como o Sleeve e o Bypass, podem apresentar deficiências de nutrientes e vitaminas, assim como anemia por falta de ferro.
  • É recomendado uma estabilidade do peso por pelo menos 6 meses.

Onde ficam as cicatrizes na abdominoplastia?

Cicatrizes:Depende da localização do excesso cutâneo, das cicatrizes prévias e da escolha realizada pelo cirurgião junto com o paciente. Pode ser em formato de âncora, longitudinal, transversal, aciforme.
Umbigo: pode ser aproveitado a cicatriz existente ou realizado um novo umbigo (neoonfaloplastia).

LEIA  Diástase dos Músculos Reto Abdominais

Como é a anestesia da abdominoplastia?

Anestesia:A anestesia pode ser geral, raquianestesia e peridural.

Como é a internação para a abdominoplastia?

Internação:Pode ser realizado em regime de HOSPITAL DIA com alta no mesmo dia em poucos casos, sendo preferível a alta no dia seguinte para observação do paciente e somente se estiver em condições.

Como é o pós operatório da abdominoplastia? 

Pós-Operatório / Recuperação: Normalmente o paciente pode voltar as atividades em 2 a 3 semanas. Deve fazer uso de malha elástica por pelo menos 1 mês. Pode ser necessário uso de drenos.

Quais são as principais intercorrências em uma abdominoplastia? 

As principais intercorrências são : Sangramento, hematoma, seroma, infecção, cicatriz inestética, trombose, deiscência
fonte:

O Dr. Fernando Amato (CRM 133826) fala sobre a abdominoplastia ou dermolipectomia abdominal. A abdominoplastia consiste no tratamento estético do abdômen principalmente com a retirada de excesso de pele e gordura. A abdominoplastia clássica consiste na retirada de pele, do excesso de pele e gordura abaixo do umbigo resultando numa cicatriz na localização da cesária e um pouco maior. Mas existe também a abdominoplastia em âncora que é uma opção cirúrgica para aqueles pacientes tiveram grandes perdas ponderais, isto é, já perderam muito peso.

Olá, sou o dr.

Fernando Amato e hoje falaremos sobre abdominoplastia
ou dermolipectomia abdominal.

A abdominoplastia consiste no tratamento estético
do abdômen, principalmente com a retirada

de excesso de pele e gordura.

Pode ser a abdominoplastia clássica, que
é a retirada da pele, do excesso de pele

e gordura abaixo do umbigo e resultando numa
cicatriz na localização da cesárea e um

pouquinho maior.

Existe também a abdominoplastia em âncora,
que é uma opção cirúrgica para aqueles

LEIA  Entendendo a Diástase do Músculo Reto Abdominal: Causas, Sintomas e Tratamentos

pacientes que tiveram grandes perdas ponderais,
ou seja, perderam muito peso, seja com dieta

ou com cirurgia bariátrica e, nesse caso,
terá uma cicatriz resultante final em âncora,

com uma vertical e uma horizontal.

Existe a abdominoplastia invertida ou abdômen
reverso, que é uma opção e é mais raro,

para tratar o excesso de pele apenas acima
do umbigo.

Além disso, tem o famoso mini abdômen, que
de mini só tem um corte um pouquinho menor

do que a adbominoplastia clássica e nessa
cirurgia faz uma cirurgia tratando toda a

musculatura, ou seja, com um corte pequeno,
descola até aqui em cima, corrige hérnia

umbilical, quando presente e isso tem um resultado
de uma cicatriz um pouco menor e retirando

muito menos pele.

Além disso, existe a lipoabdominoplastia,
que é uma associação de lipoaspiração

no abdômen e abdominoplastia.

É um pouco diferente de quando se realiza
a lipoaspiração no corpo e abdômen, nesse

caso é feita a lipoaspiração no próprio
abdômen.

Em todas essas cirurgias é feito o tratamento
de hérnias que estejam na linha média, a

mais comum é a hérnia umbilical e o tratamento
da diástase do músculo reto adbominal, que

é o afastamento que ocorre na musculatura.

Muitos pacientes perguntam sobre o umbigo:
como fica o umbigo após essas cirurgias.

Existem técnicas que preservam o umbigo e
reinserem no novo abdômen e fica uma cicatriz

na união do umbigo velho com esse novo abdômen
e, dependendo do caso, é possível até deixar sem cicatriz.

Quer saber mais sobre cirurgia plástica?

Acompanhe nossos vídeos na nossa rede social.

 

Dr. Fernando Amato

Dr. Fernando Amato

Cirurgião Plástico CRM/SP 133826