Pular para o conteúdo

Cicatriz Hipertrófica

  • Autor: Fernando Amato ,
  • publicado em:

Cicatriz hipertrófica

Uma cicatriz hipertrófica é uma cicatriz que se desenvolve quando a pele tenta se curar depois de um ferimento ou cirurgia. Ela se eleva acima da pele circundante e pode ser escura, vermelha ou roxa. 

Cicatriz hipertrófia é a mesma coisa de Quelóide?

As cicatrizes hipertróficas são diferentes de cicatrizes quelóides, que são ainda mais elevadas e podem crescer além dos limites da ferida original.

Como é o diagnóstico da Cicatriz Hipertrófica?

Para fazer o diagnóstico de uma cicatriz hipertrófica, o médico geralmente examina a cicatriz e pergunta sobre o histórico de ferimentos ou cirurgias da pessoa. Em alguns casos, o médico pode realizar um teste de toque para avaliar a elasticidade da cicatriz.

Como é o tratamento da Cicatriz Hipertrófica?

Existem várias opções de tratamento para cicatrizes hipertróficas, incluindo:

  1. Corticoides: medicamentos que podem ser aplicados diretamente na cicatriz para ajudar a reduzir o inchaço e a vermelhidão.

  2. Terapia de luz: luzes especiais podem ser usadas para ajudar a diminuir a aparência de cicatrizes hipertróficas.

  3. Cirurgia: em alguns casos, a cirurgia pode ser necessária para remover o excesso de tecido cicatricial.

  4. Compressão: usar uma faixa ou outro tipo de compressão sobre a cicatriz pode ajudar a diminuir o tamanho e a espessura da cicatriz. Pode ser realizado com placa de silicone.

  5. Gel de silicone: aplicar um gel de silicone diretamente na cicatriz pode ajudar a diminuir a aparência de cicatrizes hipertróficas.

É importante consultar um médico para obter o tratamento adequado para cicatrizes hipertróficas. Eles poderão recomendar o tratamento mais adequado para o seu caso específicof

Neste vídeo no YouTube, O Dr. Fernando Amato, Cirurgião plátsico, explica o que é um quelóide e como ele se diferencia de uma cicatriz hipertrófica. O médico mostra exemplos de quelóides em imagens e explica os sintomas comuns, como coceira e dor. Ele também discute as possíveis causas de quelóides, incluindo lesões de pele, cirurgias e perfurações de orelha.

O médico também explica os tratamentos disponíveis para quelóides, incluindo medicamentos, terapias com luz e cirurgia. Ele explica as vantagens e desvantagens de cada tratamento e dá dicas sobre como prevenir o desenvolvimento de quelóides em ferimentos futuros.

No final do vídeo, o médico responde a perguntas frequentes sobre quelóides, como se eles desaparecem naturalmente e se eles são contagiosos. Ele também oferece conselhos sobre como lidar com quelóides e incentivar a cicatrização saudável da pele.

Como é o tratamento do queloide?

Essa é uma pergunta que os pacientes
vêm, trazem e mandam mensagem para o

consultório perguntando quanto que custa
uma cirurgia para tratamento do queloide.

Bom, eu sou o Dr. Fernando Amato e hoje eu
vou falar sobre queloide. O queloide é uma

cicatrização anômala.

Ela é uma cicatrização exacerbada.

Geralmente tem um trauma no local, tem
um processo de cicatrização acontecendo,

teve uma cirurgia naquele local, mas às vezes
pode aparecer, o queloide em locais que não

tiveram nenhuma cirurgia.

Existem pacientes que têm, às vezes
por cicatriz de acne, espinha.

Então esses pacientes que têm o queloide,
eles precisam entender que o tratamento do

queloide não é só cirurgia e não adianta
eles escolherem o tratamento.

“Quero fazer cirurgia, vou procurar um
profissional que faça a cirurgia.”

Por favor, não faça isso!

O tratamento do queloide muito mais
complexo, existem em pacientes que tenham

queloide em uma cicatriz
e não tem em outra.

Existem pacientes que têm que queloide em
vários lugares do corpo e existem pacientes

que têm queloide na família.

Existem antecedentes familiares de
queloide, a mãe tem, o irmão tem.

Então cada paciente vai ser de um jeito
e cada paciente vai ter o tratamento.

É importante o paciente ter a
conscientização que o queloide é uma

cicatrização anômala, é uma hiper
proliferação da cicatriz de uma disposição

irregular do colágeno que acontece na
cicatriz e que é muito diferente da cicatriz

hipertrófica, cicatriz hipertrófica aquela
cicatriz um pouco alta, o queloide ele já vai

além da cicatriz.

Ele invade, ele formam uma bola, às
vezes ele cresce muito além da cicatriz.

Essa é a diferença, a hipertrófica, muitas
vezes ela se resolve, às vezes precisa fazer

um tratamento local, mas muitas vezes com o
tempo ela vai até abaixando. O tratamento do

queloide, ele é amplo, ele pode envolver
infiltrações com corticoides, o corticoides

ele consegue regredir um pouco o volume do
queloide, essas infiltrações que a gente usa

muito triancinolona.

O queloide tem sintomas, muitas vezes o
paciente tem dor prurido, que é aquela coceira

na cicatriz.

E esses pacientes que têm sintomas são os
que se beneficiam dessa infiltração com

corticoides e pode ser feita
cirurgia para ressecar esse tecido.

Pode ser feita uma hidratação dessa cicatriz
e muitas vezes essas cicatrizes ficam

ressecada. Isso melhora o
processo de cicatrização.

Tem placas de silicone que ajudam a
comprimir e a hidratar a cicatriz, então elas

também ajudam nesse
processo também.

A gente quando faz a cirurgia resseca, a
gente tem cuidados especiais para tentar não

acontecer a cicatriz de novo.

E existe também a betaterapia.
O que é a betaterapia?

A betaterapia é uma radioterapia na
cicatriz que diminui a imunidade local

para não ter uma cicatrização
exacerbada, após uma cirurgia.

Então geralmente, um fluxo, um protocolo muito
comum é fazer as infiltrações com triancinolona

Até uma certa regressão e
melhoras dos sintomas.

Fazer a cirurgia e depois do pós operatório,
fazer sessões de betaterapia.

Esse é um protocolo muito comum, mas podem
ser feitos outros procedimentos, pode ser

usado o laser que diminui a vascularização do
queloide, pode ser feito a compressão com

placas de silicone,

existem cremes hidratantes que podem ser
usados, pode ser feito só um pouco de uso de

corticoide tópico e existem outros trabalhos
acontecendo, outros procedimentos

que podem ser injetados no
local, até enxerto de gordura.

Existe também uso um tratamento
oral, alimentar. Alguns pacientes,

eles podem ter alguns alimentos que são mais
inflamatórios, poderiam aumentar a inflamação

e causar o queloide.

Então esses alimentos inflamatórios e que
para cada paciente vai ser um mas existem

alguns pacientes que conhecem como alimentos
remosos. Mas alguns alimentos realmente são

mais inflamatórios, a gente sabe, por exemplo,
que o glúten é mais inflamatório, mas ele não

vai ser mais inflamatório para todo mundo,
mas muitas pessoas sofrem quando comem o

glúten. Mas existem esses alimentos
inflamatórios que poderiam estar

influenciando na cicatriz
e ajudando o queloide.

Existe até trabalhos mostrando uma
influência psicológica do paciente que acaba

aparecendo o queloide no momento
mais estressante da vida do paciente.

Também existem trabalhos mostrando que
existe uma influência hormonal para

cicatrização e que poderia estar
influenciando na formação do queloide.

Então para cada paciente
existe um tratamento.

O tratamento não é só cirurgia!

Ele geralmente é composto de vários
tratamentos associados e é importante que o

tratamento tem que ser individualizado.

Então se você tem que queloide, conhece
alguém que tem queloide que quer fazer um

tratamento. Se gostou do vídeo, curta, comente
comente, pode comentar, se é dúvida a gente

tenta ajudar nos limites da internet e
compartilhe com alguém que precise dessa

informação. Muito obrigado!

 

Marcações:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

nv-author-image

Dr. Fernando Amato

Cirurgião Plástico CRM/SP 133826