Pular para o conteúdo

O que é o Lipedema?

  • Autor: Fernando Amato ,
  • publicado em:

O que é o Lipedema?

O Lipedema é uma condição médica crônica em que há um acúmulo anormal de tecido adiposo (gordura) nas pernas, quadris e, às vezes, nos braços, em uma distribuição desproporcional ao restante do corpo. É mais comum em mulheres e muitas vezes é confundido com obesidade ou linfedema.

Os sintomas do Lipedema incluem aumento da gordura nas pernas e/ou braços, dor, sensibilidade, hematomas e inchaço nas áreas afetadas. As pessoas com Lipedema geralmente têm uma aparência de pernas “em forma de tronco” e pode haver um grande contraste entre as pernas afetadas e o resto do corpo.

Embora a causa exata do Lipedema seja desconhecida, acredita-se que fatores genéticos e hormonais possam desempenhar um papel. O tratamento pode incluir mudanças na dieta e no estilo de vida, exercícios de fortalecimento muscular, compressão, drenagem linfática manual e, em casos graves, cirurgia.

Quais são os sintomas do Lipedema?

Os sintomas do lipedema incluem:

  1. Aumento progressivo de gordura nas pernas, quadris e, às vezes, braços
  2. Dor nas pernas e sensibilidade ao toque
  3. Hematomas frequentes nas áreas afetadas
  4. Inchaço (edema) nas pernas, especialmente nos tornozelos
  5. Fadiga nas pernas
  6. Dificuldade em encontrar roupas adequadas devido ao tamanho desproporcional das pernas em relação ao restante do corpo
  7. Desconforto ao ficar em pé ou caminhar por longos períodos
  8. Sensação de peso nas pernas
  9. Celulite nas pernas
  10. Mudanças na textura da pele, como endurecimento ou espessamento.

É importante ressaltar que os sintomas podem variar de pessoa para pessoa e podem ser mais graves em alguns casos do que em outros. Se você estiver enfrentando algum desses sintomas, é recomendável consultar um médico para um diagnóstico preciso e tratamento adequado.

Como é uma cirurgia do Lipedema?

Existem vários tipos de cirurgias para o tratamento do lipedema, mas as mais comuns são a lipoaspiração tumescente e a lipectomia.

A lipoaspiração tumescente é uma técnica minimamente invasiva em que um cirurgião plástico remove a gordura do corpo por meio de pequenas incisões na pele. Durante o procedimento, uma solução tumescente (que contém anestésicos e adrenalina) é injetada na área afetada para ajudar a reduzir o sangramento, dor e desconforto pós-operatório. Em seguida, uma cânula é inserida nas incisões para aspirar a gordura e melhorar a aparência estética da área tratada.

LEIA  Lipedema e estrogênio

A lipectomia é uma técnica mais invasiva que envolve a remoção cirúrgica de grandes volumes de gordura e tecido adiposo das pernas ou outras áreas afetadas. O procedimento é realizado sob anestesia geral e requer incisões maiores na pele. A lipectomia é geralmente recomendada em casos mais graves de lipedema.

Ambas as cirurgias têm riscos e complicações associados, incluindo sangramento, infecção, cicatrizes e reações adversas à anestesia. É importante conversar com um cirurgião plástico experiente e especializado em cirurgias para o tratamento do lipedema, para entender quais são os procedimentos adequados para você e os riscos envolvidos. Além disso, é importante lembrar que a cirurgia deve ser sempre acompanhada de um programa de cuidados e de acompanhamento médico pós-operatório.

É possível tratar o Lipedema sem cirurgia?

Sim, existem vários tratamentos não cirúrgicos que podem ser eficazes no controle e gerenciamento do lipedema. Algumas opções incluem:

  1. Mudanças na dieta e estilo de vida: Adotar uma dieta saudável, equilibrada e rica em nutrientes, assim como realizar atividade física regular, pode ajudar a controlar o peso e reduzir o acúmulo de gordura nas pernas e outras áreas afetadas.

  2. Fisioterapia: A fisioterapia pode ajudar a melhorar a circulação, reduzir a dor e a inflamação e fortalecer os músculos.

  3. Drenagem linfática manual: Um terapeuta especializado pode realizar uma massagem suave e controlada para ajudar a reduzir o inchaço e melhorar o fluxo linfático nas áreas afetadas.

  4. Compressão: Usar roupas de compressão, como meias e leggings, pode ajudar a reduzir o inchaço e melhorar a circulação.

  5. Medicamentos: Alguns medicamentos, como diuréticos e anti-inflamatórios, podem ajudar a reduzir o inchaço e a inflamação nas pernas e outras áreas afetadas.

Embora essas opções não cirúrgicas possam ser eficazes no controle e gerenciamento do lipedema, é importante lembrar que os resultados podem variar de pessoa para pessoa. É importante que você converse com um médico para avaliar as opções de tratamento adequadas e criar um plano de cuidados personalizado para você.

LEIA  Câncer de mama

Quais são as dietas que funcionam para o tratamento do Lipedema?

Atualmente, não existe uma dieta específica que seja comprovadamente eficaz no tratamento do lipedema. No entanto, adotar uma dieta saudável e equilibrada pode ajudar a controlar o peso e reduzir o acúmulo de gordura nas pernas e outras áreas afetadas.

Algumas recomendações dietéticas que podem ajudar no controle do lipedema incluem:

  1. Reduzir a ingestão de alimentos processados, ricos em açúcar e gorduras saturadas.

  2. Aumentar o consumo de alimentos ricos em nutrientes, como frutas, legumes, grãos integrais, proteínas magras e gorduras saudáveis, como abacate e nozes.

  3. Evitar o consumo de bebidas alcoólicas e refrigerantes.

  4. Reduzir o consumo de sal e alimentos ricos em sódio para ajudar a prevenir o inchaço.

  5. Beber bastante água para ajudar a manter a hidratação e a circulação adequada.

Então, é importante lembrar que o controle do lipedema não se limita apenas à alimentação. Mas outros fatores, como atividade física, sono adequado e gerenciamento do estresse, também podem ter um papel importante no tratamento. É importante conversar com um médico ou um nutricionista para desenvolver um plano de dieta e estilo de vida adequado para suas necessidades individuais.

Quais são os diagnóticos que confundem no Lipedema?

O diagnóstico do lipedema pode ser difícil, pois pode ser confundido com outras condições que apresentam sintomas semelhantes. Alguns diagnósticos que podem ser confundidos com o lipedema incluem:

  1. Obesidade: A obesidade é uma condição em que há um acúmulo excessivo de gordura em todo o corpo, incluindo as pernas. No entanto, o acúmulo de gordura na obesidade é mais uniforme e não apresenta o padrão simétrico e doloroso do lipedema.

  2. Linfedema: O linfedema é uma condição em que há acúmulo de líquido nos tecidos, causando inchaço e desconforto. O linfedema geralmente afeta apenas uma perna e não é simétrico como no lipedema.

  3. Lipomatoses: As lipomatoses são um grupo de doenças em que há crescimento anormal do tecido adiposo em áreas específicas do corpo. No entanto, as lipomatoses geralmente não causam dor ou desconforto e não apresentam o padrão simétrico do lipedema.

  4. Síndrome de Dercum: A síndrome de Dercum é uma doença rara em que há dor e inchaço nas pernas, acompanhados por nódulos de gordura. No entanto, a síndrome de Dercum geralmente afeta mais as pernas inferiores e causa dor mais intensa do que o lipedema.

LEIA  Alerta para limites de segurança da lipoaspiração

Para confirmar o diagnóstico de lipedema, é importante que você consulte um médico especializado. Esse médico realizará um exame físico, avaliará o seu histórico médico e, se necessário, realizará exames complementares, como ultrassonografia, tomografia computadorizada ou ressonância magnética.

Qual a diferença de lipedema e linfedema?

Lipedema e linfedema são condições médicas diferentes que afetam o sistema linfático e podem afetar as pernas e os braços. Embora possam compartilhar alguns sintomas semelhantes, existem diferenças importantes entre essas duas condições.

O lipedema é uma condição em que o tecido adiposo (gordura) se distribui de maneira desigual no corpo, resultando em excesso de gordura nas pernas, tornozelos e, às vezes, nos braços. Os médicos geralmente diagnosticam essa condição crônica e progressiva em mulheres, principalmente na adolescência ou início da idade adulta. Mas alguns dos sintomas comuns do lipedema incluem dor, sensibilidade ao toque e facilidade de contusões nas áreas afetadas.

Por outro lado, o linfedema é uma condição em que os vasos linfáticos não drenam corretamente o fluido linfático, resultando no acúmulo de líquido e inchaço nas pernas, braços ou em outras áreas do corpo. O linfedema pode ser causado por uma variedade de fatores, incluindo doenças infecciosas, trauma, cirurgia ou radioterapia, ou pode ser congênito. Alguns dos sintomas comuns do linfedema incluem inchaço, sensação de peso ou pressão, dor e infecções frequentes na área afetada.

Em resumo, a principal diferença entre lipedema e linfedema é que o primeiro envolve excesso de gordura nas pernas e braços, enquanto o último é um acúmulo de líquido linfático que causa inchaço nas mesmas áreas. Assim como ambos os distúrbios podem afetar a qualidade de vida de uma pessoa e requerem tratamento adequado e acompanhamento médico.

Marcações:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Dr. Fernando Amato

Dr. Fernando Amato

Cirurgião Plástico CRM/SP 133826