Pular para o conteúdo

Otomodelação

  • Autor: Fernando Amato ,
  • publicado em:

Entendendo a Otoplastia e Otomodelação: Corrigindo e Moldando Orelhas

A aparência das orelhas pode influenciar significativamente a autoestima de muitas pessoas, especialmente quando ocorrem deformidades congênitas, como as orelhas proeminentes ou de abano. Mas felizmente, existem técnicas que ajudam a corrigir essas condições e melhorar a autoestima dos afetados. Então, neste artigo, explicaremos dois métodos principais para tratar deformidades das orelhas: a otomodelação e a otoplastia.

Otomodelação: Intervenção precoce e não invasiva

A otomodelação, como o próprio nome sugere, é uma técnica que se concentra na moldagem das orelhas. Quando uma deformidade é identificada em um recém-nascido, é possível iniciar a moldagem utilizando moldes de silicone ou microporagem.Esses métodos são eficazes somente quando aplicados precocemente, aproveitando a capacidade da orelha de ser moldada enquanto a cartilagem ainda é maleável.

Otoplastia: Correção cirúrgica para crianças e adultos

Então, quando a correção das orelhas é necessária em crianças mais velhas ou adultos, a otoplastia cirúrgica é a técnica mais comum. Nesse procedimento, os cirurgiões fazem um corte atrás da orelha, desgastam a cartilagem, realizam ressecção do excesso de cartilagem e aplicam pontos para remodelar a cartilagem.

Otoplastia sem cortes: Uma alternativa menos invasiva

Atualmente, a otoplastia sem cortes tem ganhado popularidade. Esse método envolve o desgaste da cartilagem da orelha e a aplicação de pontos de forma percutânea, ou seja, sem o corte inicial. Embora seja um procedimento cirúrgico menos invasivo, ele apresenta algumas limitações e não é adequado para todos os casos de deformidades nas orelhas.

Minha opinião profissional:

Em minha opinião profissional, a idade pré-escolar é o momento ideal para realizar a otoplastia, pois a criança já é capaz de participar da decisão de fazer ou não o procedimento. Isso permite que a criança compreenda e concorde com a intervenção, garantindo que se sinta confortável e confiante com os resultados.

Conclusão:

Em suma, a otomodelação e a otoplastia são técnicas importantes para corrigir deformidades nas orelhas e melhorar a autoestima dos pacientes. A otomodelação permite intervenções precoces em recém-nascidos, enquanto a otoplastia oferece soluções cirúrgicas para crianças e adultos. Cada técnica tem suas vantagens e limitações, sendo fundamental consultar um especialista para determinar a melhor abordagem para cada caso. Ambos os métodos contribuem para melhora e mudança do formato da orelha, mas somente um cirurgião experiente poderá decidir qual a técnica adequada para cada caso.


Veja a entrevista do Dr. Fernando Amato no site da uol!


Contudo, Deolane Bezerra, 35, enfrentou críticas após compartilhar nas redes sociais que submeteu sua filha, Valentina, 6, a um procedimento estético conhecido como “otomodelação avançada”, visando a redução do tamanho das orelhas.

A ex-Fazenda contou que a filha estava incomodada com a aparência de suas orelhas e, por isso, decidiu realizar o procedimento. PUBLICIDADE Relacionadas Selfies aumentam busca por plástica: ‘Quero me encaixar nos padrões’ Thaeme fura orelha da filha com 16 dias de vida; tem idade ideal para isso? MC Cabelinho faz tatuagem anestesiado: faz mal? Afeta o resultado? Entenda Dicas de saúde, alimentação e bem-estar em um único aplicativo. Baixe aqui VivaBem UOL Ela está se sentind… – Veja mais em https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2023/03/29/filha-de-deolane-faz-procedimento-nas-orelhas-crianca-pode-fazer-plastica.htm?cmpid=copiaecola

LEIA  Otoplastia – entre os resultados positivos está a prevenção do bullying


Descrição

Vídeo sobre orelha de abano

Transcrição

Qual a idade certa para fazer otoplastia?

O que é a otoplastia?

Bom, a otoplastia é a cirurgia para correção da orelha de abano, a orelha de abano são aquelas orelhas que são um pouquinho lateralizadas, tem um aumento do ângulo da orelha com o crânio e tem um excesso de cartilagem muitas vezes ou uma deformidade na cartilagem.

Qual a idade para fazer esse procedimento?

Geralmente o problema da orelha de abanoé que acomete crianças e realmente a idade deve ser no momento em que a criança manifesta o desejo.

A gente precisa respeitar o desejo do paciente. O paciente precisa falar “olha, realmente me incomoda, é preciso fazer a cirurgia” e o que é muito difícil para uma criança e os pais podem decidir? Sim, eles são responsáveis!

Mas é muito importante a conscientização do paciente sobre o procedimento.

Não pode ser feito à força, a criança não pode ser forçada a uma cirurgia, se ela não se incomodar, a gente tem que respeitar isso dela.

Então geralmente, a gente acaba realizando a partir de 7 anos, porque é a idade pré-escolar que a criança começa a socializar e inicia o bullying e realmente gente acaba fazendo essa cirurgia por conta do bullying, a gente precisa trazer essa criança para uma sociedade e não sofrer esse efeito negativo de uma deformidade dela.

Então a gente acaba fazendo geralmente a partir dos 7 anos.

É claro que existem algumas situações, por exemplo, um paciente que tem uma deformidade mais exuberante com uma simetria ou um lado tem, outro lado não tem e por exemplo, vai fazer uma cirurgia, uma outra cirurgia, uma hérnia umbilical, uma fimose, a gente pode até aproveitar este momento. Mas eu prefiro fazer quando a criança dá o consentimento e quer fazer a cirurgia e para mim isso é importante, porque o paciente que vai sofrer os benefícios e até as consequências de uma cirurgia.

Quando se faz numa criança, a anestesia precisa, até fazer uma anestesia, uma sedação, às vezes até uma anestesia geral para conseguir realizar o procedimento e a gente consegue fazer em pacientes mais velhos ou acima dos 14 anos, 15 anos, consegue até fazer com anestesia local, mas não é para todos os pacientes uma cirurgia que se faz a anestesia local e eu prefiro fazer…

LEIA  Reposicionamento da Sobrancelha: Como Rejuvenescer o Olhar

Se for fazer com anestesia local, ter uma sedação ou pelo menos estar assistindo de um anestesista para dar suporte para esse paciente.

E o que a gente faz na cirurgia? Os pacientes que têm um excesso de concha, que é essa cartilagem de dentro, a gente até resseca um pouco de cartilagem e na hélice que é essa parte mais externa da orelha.

Às vezes não tem… A gente acaba desenhando esse formato de Y que tem na orelha, o paciente não tem. Tem um apagamento do contorno da hélice e a gente acaba desenhando isso, pode fazer um desgaste da cartilagem e dar pontos para sustentar isso.

Basicamente é isso que a gente faz na cirurgia. Parece muito simples, “ah, dá dois, três pontos”, mas é uma cirurgia que tem um tempo de às vezes uma hora, duas horas e tem sua importância, ter um pós operatório um
pouquinho especial, pode ter hematoma e por isso é importante fazer os curativos, fazer um enfaixamento, usar faixa.

Então por isso que é importante o paciente estar participando e ajudar no pós operatório. Se você tem dúvida do procedimento, comenta aqui. Se você acha que tem alguém que pode se beneficiar, compartilhe esse vídeo.

Curta o vídeo se você gostou, isso vai ajudar bastante o canal, tá bom?

Obrigado!

Descrição

Video sobre ototoplastia

Transcrição

A otoplastia é a cirurgia plástica para a correção de deformidades da orelha, como as orelhas proeminentes mais conhecidas como orelha de abano.

É uma cirurgia considerada reconstrutora, pois melhora principalmente a autoestima dos pacientes, sendo o principal público crianças no início de atividades escolares que podem ser vítimas de bullying.

Idade ideal para a cirurgia é no início das atividades escolares, entre seis e sete anos, e que já têm alguma compreensão do que será feito na cirurgia.

A cicatriz final fica atrás da orelha em uma região chamada retro auricular.

A anestesia pode ser geral na maioria dos casos e para conforto do paciente, principalmente em crianças que não colaboram, mas em adultos pode ser feita até com local ou local e sedação.

Essa cirurgia pode ser realizada em regime de hospital dia com alta no mesmo dia.

Normalmente o paciente pode voltar a suas atividades em uma a duas semanas.

Pode ocorres algum sangramentozinho, ter algum hematoma ou até mesmo infecção no local da cirurgia e a logo prazo pode ter uma cicatriz, e essa cicatriz pode ficar alargada ou aumentada.

Bom, era isso que eu tinha para falar sobre otoplastia.

Se gostou desse vídeo curta nossos vídeos.

Perguntas frequentes sobre otoplastia e otomodelação

O que é otomodelação?

A otomodelação é uma técnica não invasiva que visa moldar e corrigir deformidades nas orelhas de recém-nascidos, como as orelhas de abano. Essa técnica utiliza moldes de silicone ou microporagem e é mais eficaz quando aplicada precocemente.

A partir de qual idade pode ser realizada a otoplastia?

A otoplastia geralmente é realizada a partir dos 5 ou 6 anos de idade, quando as orelhas já atingiram quase seu tamanho adulto e a cartilagem é mais firme. No entanto, a idade ideal pode variar dependendo do caso e das necessidades do paciente.

Qual é a opinião do profissional sobre a idade ideal para a otoplastia?

A opinião profissional é realizar a cirurgia em idade pré-escolar, permitindo que a criança participe da decisão de fazer ou não o procedimento, além de minimizar possíveis impactos psicológicos relacionados à aparência das orelhas durante a infância e adolescência.

Quanto tempo dura a recuperação após a otoplastia?

A recuperação após a otoplastia geralmente leva de 1 a 2 semanas. Durante esse período, o paciente deve usar uma bandagem protetora ao redor da cabeça e evitar atividades físicas intensas. A área operada pode apresentar inchaço e desconforto, que diminuirão gradualmente.

A otoplastia deixa cicatrizes visíveis?

As cicatrizes da otoplastia geralmente ficam escondidas atrás das orelhas e, com o tempo, tendem a ficar menos perceptíveis. A habilidade do cirurgião e os cuidados pós-operatórios do paciente também influenciam na aparência das cicatrizes.

A otoplastia afeta a audição?

Não afeta a audição, pois o procedimento é focado na correção da aparência externa das orelhas e não envolve a estrutura interna responsável pela audição.

A otoplastia sem cortes é adequada para todos os casos?

Embora a otoplastia sem cortes seja uma alternativa menos invasiva, cirurgiões reconhecem suas limitações e a adequação para todos os casos de deformidades nas orelhas. A escolha da técnica mais apropriada deve ser feita em conjunto com o cirurgião, considerando as necessidades e condições específicas do paciente.

É possível corrigir o resultado de uma otoplastia insatisfatória?

Sim, é possível realizar uma cirurgia de revisão para corrigir resultados insatisfatórios de uma otoplastia anterior. No entanto, é fundamental consultar um cirurgião plástico experiente e discutir as expectativas e possíveis resultados antes de se submeter a uma nova cirurgia.

Quais são os riscos e complicações associados à otoplastia?

Contudo, como em qualquer procedimento cirúrgico, a otoplastia apresenta alguns riscos e possíveis complicações, como infecção, sangramento, reação à anestesia e problemas na cicatrização. Por fim, seguir as orientações do cirurgião e os cuidados pós-operatórios adequados minimiza esses riscos e ajuda a garantir uma recuperação bem-sucedida.

Marcações:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Dr. Fernando Amato

Dr. Fernando Amato

Cirurgião Plástico CRM/SP 133826