Mamoplastia de Aumento – “Prótese de Mama”

Mamoplastia de Aumento – “Prótese de Mama”

As mamas representam muito mais do que o órgão de amamentação, elas são o símbolo da sensualidade da mulher e desempenham papel fundamental na estética do corpo feminino.

Inicialmente o uso de implantes mamários foi utilizado para a reconstrução da mama por deformidades congênitas, como as assimetrias ou deformidades adquiridas, como em casos de câncer.

Atualmente, o uso de implantes mamários na cirurgia estética é cada vez mais frequente, sendo uma das cirurgias plásticas mais realizadas no Brasil.

Existem alguns tipos de materiais para uso no aumento mamário, sendo o mais comum o silicone, além disso os implantes podem variar de tamanho, forma e textura, mas dependem da escolha ideal para cada paciente.

A dúvida do quanto aumentar as mamas faz parte de toda consulta e de todas as pacientes e a escolha depende de 3 principais fatores: do desejo da paciente, do quanto “cabe” no tórax e da opinião do cirurgião, que utilizará de diversos métodos para definir o volume ideal. Todos esses fatores precisam estar em harmonia para que se obtenha um bom resultado.

O implante pode ficar atrás da glândula mamaria ou atrás do músculo e essa opção é definida pelo médico, de acordo com a estrutura de cada paciente. Normalmente o plano muscular é escolhido em pacientes muito magras e com pouca glândula.

O acesso cirúrgico pode ser o sulco mamário, peri-areolar, ou axilar. Essa escolha deve ser feita em conjunto com a paciente porque define o local final da cicatriz. A cirurgia é rápida, a internação hospitalar normalmente não ultrapassa 24 horas, podendo na maioria das vezes ter alta no mesmo dia. As complicações pós operatórias são raras e geralmente estão associadas à colocação de volumes exagerados, à falta de acompanhamento pós operatório ou ao não seguimento às orientações de repouso e ao uso de malhas elásticas.

É importante saber que a cirurgia de aumento mamário com implantes pode não ser única, pois o material estranho ao corpo estimula a formação de uma cápsula, que com o tempo pode ficar espessa e endurecida. Nos casos em que a mama ficar endurecida e dolorosa é indicada a troca do implante assim como também, é indicada a cirurgia quando a mama variar de tamanho com a lactação, ganho ou perda de peso.

Quanto à lactação, essa cirurgia não impede a amamentação. O implante mamário também não causa câncer e não impede o rastreamento rotineiro do câncer de mama.

fontes:

http://www.amato.com.br

http://www.cirurgiaplastica.org.br