Pular para o conteúdo

Como fazer explante pelo convênio?

  • Autor: Fernando Amato ,
  • publicado em:

Como fazer explante pelo convênio? É possível?

Essa é uma grande dúvida das pacientes que possuem prótese de silicone e procuram o explante mamário, cirurgia em que é retirado o implantre mamário. É possível sim, existe algumas condições em que é possível uma interpretação não estético do procedimento em que os convênios e seguradoras já estão aceitando o explante como procedimento cirúrgico.

Nesse vídeo, o Dr. Fernando Amato, cirurgião plástico, fala sobre as possíbilidades de ralizar o explante mamário utlizando os planos de saúde!

Explante, tem cobertura pelos
convênios? Eu sou o doutor

Fernando Amato, sou cirurgião
plástico aqui no Instituto

Amato e hoje eu vou falar sobre
essa cirurgia, o explante

mamário que nada mais é do que
a retirada do implante mamário

de silicone e que uma das
grandes dúvidas que as

pacientes têm, que querem fazer
esse procedimento é se ele tem

cobertura pelos planos saúde
pelas seguradoras. É uma dúvida

porque, obviamente isso tem um
impacto econômico muito grande

na vida de alguém que quer
fazer uma cirurgia como essa.

Bom, o explante, ele tem tido cada
vez mais procura, tanto por

questões estéticas, como por
questões reconstrutoras,

reparadoras, questões
funcionais, alterações,

deformidades que acabam evoluindo para
um explante mamário.E como que é

essa cirurgia, né? A gente
acaba retirando o implante e a

cápsula que fica ao seu redor.
Quando que a gente vai poder

fazer essa cirurgia e utilizar
o seguro ou a operadora? Quando

esses pacientes possuem
alguma alteração no implante

que justifique para o convênio.
E quais são as complicações que

justificam essa cirurgia? Bom,
eu vejo três principais

complicações no implante
mamário, no implante de

silicone que levam a
necessidade de retirada desse

implante ou até mesmo a troca
do implante. Bom, uma delas é

quando o implante rompe, quando
tem uma ruptura do implante,

essa ruptura, ela é rara, ela
não deveria acontecer porque o

implante, ele é feito para não
romper, então é possível quando

você pega nele, se aperta, você
pode até passar com carro por

cima, tem o vídeo passando um
carro por cima e ele não rompe.

Então quando ele rompe, ou ele
tem um defeito de fabricação ou

ele teve algum trauma na
colocação do implante ou ele

teve um trauma dentro do
paciente. O paciente que tem

algum acidente de carro ou
pratica algum esporte que tem

algum tipo de impacto ou até
mesmo quando o organismo tem

uma contratura capsular que ela
vai contraindo e formando uma

cápsula ao redor do implante,
ele pode nessa contração também

evoluir com uma ruptura do
implante. Então, a ruptura do

implante é uma das
justificativas que o paciente

pode fazer o implante mamário
com uma cobertura pelo convênio

ou se não tiver autorização, ele
pode brigar e ter seus direitos

garantidos. Outra situação é
quando o paciente tem a

contratura capsular. A
contratura capsular é uma

evolução até que esperada de uma
paciente que tenha colocado um

implante mamário. O organismo,
ele forma uma cápsula ao redor

do implante e isso é esperado.
Todo material estranho que o

organismo não reconhece, ele
vai se proteger. Então, pra

isso, ele forma essa cápsula.
Não precisa ser um implante de

silicone, pode ser algum outro
implante, um implante metálico,

de titânio e de outros
materiais, e sim vai gerar

essa formar uma cápsula, o seu
mas essa cápsula na mama com o

tempo, ela começa a ficar
endurecida e essa endurecimento

pode causar deformidade na mama
e dor. Então, quando o paciente

tem deformidade com dor. Às
vezes, até limitação na

movimentação do braço, ela já
tem a justificativa pro

convênio, ou seja, ela tem uma
limitação funcional. Ela tem

perda da qualidade de vida por
dor. Então, isso sim, já é uma

justificativa pra essa cirurgia
pelo convênio pela seguradora.

Então esse é o segundo motivo
que justifica a retirada do

implante com a cobertura. Já o
terceiro principal motivo é

quando a paciente tem um seroma.
E o que é o seroma? O seroma é

um líquido inflamatório que
pode se formar ao redor do

implante, ele tem várias causas,
uma delas pode ser um trauma, a

paciente teve algum trauma
local e acaba formando

um seroma por conta de um
pequeno sangramento, ela pode

tá relacionada a infecção e
pode, em casos raros, tá

relacionado a um câncer muito
raro que é o linfoma anaplásico

de células gigantes. Esse
linfoma, ele é um linfoma que

aparece na cápsula, ou seja,
ele tá relacionado a essa

defesa do organismo com essa
cápsula e o líquido que se forma

ao redor é a maneira que a
gente tem para diagnosticar

esse linfoma. Então é feito
uma punção, a gente tenta

estudar esse liquido pra
justificar, porque o ideal é

tratar o linfoma, ele tem
algumas outras

particularidades, mas se tem um
líquido ao redor e se

desconfia de um câncer, essa já
é uma justificativa para

conseguir fazer o explante.
Então, esse são as três principais

alterações na mama para um
paciente com prótese, com

implante que justificam uma
cirurgia pelo convênio, uma

cirurgia pela seguradora.
Então, tem uma justificativa.

Então, se você tem uma dessas
três deformidades ou

alterações, é mais fácil você
brigar pelo seu direito junto

com a sua operadora. É muito
muito importante quando você

faz uma cirurgia de mama,
também você avisar o

convênio, né? Que quando vai
aderir ao plano que você tem

essa cirurgia prévia, também
ele tem direito e muitas vezes

eles brigam falando que não foi
falado, não foi avisado dessa

cirurgia prévia e às vezes eles
podem até negar o procedimento,

mas no Brasil as regras são
muito mais favoráveis ao

paciente, então vale a pena
buscar os seus direitos. Antes

de terminar, eu acho que vale a
pena falar de umas novas

doenças que vão se falando
relacionadas ao implante que é

a doença do silicone, que pode
ser um termo amplo e genérico

já abordando todos essas
complicações, mas também ela

pode tá relacionada ao depósito
de silicone no organismo.

Então, não só por uma ruptura
do implante, existe uma

condição chamada bleeding, que é
esse extravasamento do silicone

que tá dentro da prótese sem
ter a ruptura do implante e

esse extravasamento, ter essa migração
do silicone e poder tá causando

sintomas inespecíficos,
inflamatórios, semelhantes a

doenças autoimunes, né? E a
gente tem também o ASIA, né?

Que é a síndrome ASIA, que é
uma síndrome autoimune, também

eu falo aqui em algum dos
vídeos e essa síndrome

autoimune, ela é tem sintomas
semelhantes às doenças

autoimunes, ou seja, com dor
articular, dor no corpo, queda

de cabelo, boca e olho seco. Então,
essas doenças ainda é difícil

você provar a relação do
sintoma com essas doenças pra

conseguir justificar o implante
mamário. É uma briga que ainda

tem muito pra se conquistar,
mas com certeza que mais pro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

nv-author-image

Dr. Fernando Amato

Cirurgião Plástico CRM/SP 133826