Pular para o conteúdo

Linfoma relacionado a prótese de Silicone

  • Autor: Fernando Amato ,
  • publicado em:

Você sabia que existe um linfoma relacionado a prótese de silicone? É raro, mas é possível acontecer, por isso é importante investigar quando tiver suspeita.

O que é o Linfoma relacionado às próteses de silicone?

BIA-ALCL, ou linfoma anaplásico grande células dos tecidos moles relacionado a implante de mama, é uma rara condição que pode ocorrer após a colocação de implante mamário. De acordo com a Sociedade Americana de Cirurgia Plástica, cerca de 1 em cada 3.8 mil mulheres com implante mamário desenvolverão BIA-ALCL.

A maioria dos casos de BIA-ALCL são detectados entre 8 e 10 anos após a colocação do implante, mas pode ocorrer tanto antes quanto depois desse período. Os sintomas incluem inchaço, dor e vermelhidão ao redor do implante, bem como linfonodos inchados no pescoço, axila ou virilha.

A causa exata do BIA-ALCL ainda não é conhecida, mas acredita-se que seja relacionada à presença do silicone estimulando excessivamente a resposta imune local. O tratamento geralmente envolve basicamente a remoção do implante e dos tecidos circundantes afetados.

É importante notar que o BIA-ALCL é diferente do câncer de mama comum e é muito mais raro. A maioria das mulheres com implante mamário nunca desenvolverá BIA-ALCL. No entanto, é importante estar ciente dos sintomas e procurar atendimento médico se eles ocorrerem.

Em geral, os cirurgiões plásticos recomendam que as mulheres com implante mamário sejam examinadas regularmente por um médico especialista para monitorar qualquer mudança no tamanho ou forma do implante, bem como qualquer sinal de inchaço ou dor.

Em resumo, BIA-ALCL é uma condição rara, mas potencialmente grave, que pode ocorrer após a colocação de implante mamário. Os sintomas incluem inchaço, dor e vermelhidão ao redor do implante, bem como linfonodos inchados no pescoço, axila ou virilha. O tratamento geralmente envolve a remoção do implante e dos tecidos circundantes afetados. É importante estar ciente dos sintomas e procurar atendimento médico se eles ocorrerem.

 
 
 
 

Exames que dem ser solicitados para investigar o LINFOMA (BIA-ALCL)

Citologia oncótica e imunocitoquímica com pesquisa de cd30 e ALK
(obrigatoriamente CD30 vem positivo e ALK negativo)
 
Solicitar:
Punção por ecografia (OBS: realizar com tempo hábil para enviar material a fresco para analise)
  • Ecografia de mama (40901114)
  • Punção guiada por ecografia (40809099)
Orientação coleta:
  • Anatomia patológica
    • Líquido – 5 a 10 ml (não colocar formol) – análise imediata/ a fresco
      • citologia de líquidos (40601129)
      • Imunocitoquímica do líquido (40601170)
    • Material sólido/peça cirúrgica (em formol)
      • Anatomopatológico (40601200)
      • imuno-histoquímico (40601170)
  • Laboratório de citometria de fluxo
    • Imunofenotipagem (40403254)
      • Líquido (tubo a seco – menos de 6 horas)
      • peça cirúrgica (colocar em soro fisiológico) – salientar BIA-ALCL (CD30)

Dúvidas frequentes:

O que é BIA-ALCL?

BIA-ALCL é um acrônimo para linfoma anaplásico grande células dos tecidos moles relacionado a implante de mama. É uma condição rara que pode ocorrer após a colocação de um implante mamário.

Quais são os sintomas de BIA-ALCL?

Os sintomas de BIA-ALCL incluem inchaço, dor e vermelhidão ao redor do implante, bem como linfonodos inchados no pescoço, axila ou virilha.

Qual é a causa de BIA-ALCL?

A causa exata de BIA-ALCL ainda não é conhecida, mas acredita-se que seja relacionada ao estimulo da resposta imune realacionado a presença de um implante de silicone.

Qual é a taxa de incidência de BIA-ALCL?

A taxa de incidência de BIA-ALCL é de cerca de 1 em cada 3.8 mil mulheres com implante mamário.

Quando os sintomas de BIA-ALCL geralmente aparecem?

A maioria dos casos de BIA-ALCL são detectados entre 8 e 10 anos após a colocação do implante, mas pode ocorrer tanto antes quanto depois desse período.

Como é feito o diagnóstico de BIA-ALCL?

O diagnóstico de BIA-ALCL é feito através de exames de imagem, como ultrassonografia ou ressonância magnética, bem como uma biópsia dos tecidos circundantes do implante.

Como é feito o tratamento de BIA-ALCL?

O tratamento de BIA-ALCL geralmente envolve a remoção do implante e dos tecidos circundantes afetados.

O que acontece se BIA-ALCL não for tratado?

Se BIA-ALCL não for tratado, pode causar danos significativos aos tecidos circundantes do implante, bem como o risco de disseminação para outras partes do corpo.

Como posso prevenir o desenvolvimento de BIA-ALCL?

Atualmente, não há uma forma conhecida de prevenir o desenvolvimento de BIA-ALCL. No entanto, é importante estar ciente dos sintomas e procurar atendimento médico se eles ocorrerem.

Posso ter BIA-ALCL se eu tenho um implante de silicone?

BIA-ALCL pode ocorrer tanto em implante de silicone quanto em implante de poliuretano, independentemente do tipo de implante utilizado. É importante estar ciente dos sintomas e procurar atendimento médico se eles ocorrerem, independentemente do tipo de implante que você tenha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

nv-author-image

Dr. Fernando Amato

Cirurgião Plástico CRM/SP 133826