Ginecomastia

Ginecomastia

A ginecomastia consiste no aumento do tecido mamário em homens. Pode ocorrer aumento da glândula mamária, apenas do tecido gorduroso (neste caso denominado de pseudoginecomastia), ou de ambos, que é o mais frequente.

A prevalência é maior na puberdade, podendo chegar até 65% na faixa etária de 14 a 15 anos, e em menos de 10 % das vezes persiste após os 17 anos. Apesar da maioria dos casos regredir espontaneamente,essa alteração física pode interferir na autoestima e na qualidade de vida do paciente.

A ginecomastia tem como causa: doenças genéticas, doenças endocrinológicas, câncer, uso de medicações e drogas, mas na maioria das vezes a causa é desconhecida. Não se identificando causa tratável clinicamente, e persistindo o quadro por mais de 2 anos, o tratamento cirúrgico está indicado.

O tipo de procedimento depende de cada paciente. Alguns casos com apenas excesso de gordura é possível resolver apenas com lipoaspiração, entretanto, quando a glândula está aumentada, é necessário fazer sua ressecção, chamada adenectomia e em casos extremos, quando há excesso de pele, pode ser necessária sua ressecção.

O acesso cirúrgico, “o corte”, na adenectomia costuma ser em torno da auréola, para minimizar a cicatriz. A cirurgia pode ser feita com anestesia local ou geral, dependendo de cada caso. A internação é rápida, normalmente não passando de 24 horas de internação.

Os riscos desse procedimento são mínimos e estão associados a má adesão ao pós operatório, em que é necessário ficar em média 4 semanas sem atividade física e utilizando corretamente malha elástica.

Cicatrizes: Em torno da aréola, podendo ser ampliada para as laterais caso tenha muito excesso de pele. Pode ter pequenas cicatrizes nas saídas do dreno, quando for utilizado, ou caso seja realizado lipoaspiração.

Anestesia: Anestesia local e sedação, ou anestesia geral.

Internação: Pode ser realizado em regime de hospital dia, ou seja, pode ter alta no mesmo dia.

Pós-Operatório / Recuperação:  Em torno de 1 a 2 meses, pode ser recomendado o uso de malhas pós operatórias e o  retorno é gradual à atividades físicas.

Intercorrências: Formação de hematoma, equimose, ceroma, cicatrizes, assimetrias.

fontes:

  • http://www.ginecomastia.org
  • http://cirurgiaplastica.org.br
  • http://www.amato.com.br