Pular para o conteúdo

26/6/21 jornalfatosenoticias

Gordura nos quadris e coxa pode ser sintoma de doença vascular

A gordura localizada e flacidez pode ser um sintoma de doença vascular. O lipedema é visto como obesidade ou sobrepeso, muito mais comum em mulheres, surgindo na puberdade, durante a gestação ou após a menopausa. Sendo assim, há inchaço e um acúmulo de gordura, ainda mais nos membros inferiores.
“A gordura do lipedema costuma ser dolorosa e se concentra em quadris, coxas e panturrilhas. Também podem surgir alguns pequenos nódulos”, explicou Andrea Ferri Catib, nutróloga, especialista em medicina do esporte e membro da Sociedade Brasileira para Estudos da Fisiologia (Sobraf).

Além disso, outros sintomas incluem desproporção entre as pernas e o tronco, celulite, sensação de peso nas pernas e cansaço. Andrea comentou que — por outro lado — a gordura da obesidade é distribuída de forma mais uniforme no corpo, sendo eliminada com menor dificuldade por meio de dieta e atividade física, o que não acontece em casos de lipedema.
“Provavelmente, existe uma ligação com a genética, mas nenhum gene ainda foi identificado. Parece também haver uma relação com o estrogênio, uma vez que acomete praticamente só mulheres e, normalmente, em fases nas quais ocorre um aumento desse hormônio, como na puberdade e gestação”, disse Andrea.
O tratamento do lipedema precisa uma equipe ampla, formada por angiologista, cirurgião vascular, nutricionista, fisioterapeuta e, em alguns casos, psicólogo. É preciso também exames para detectar doenças endocrinológicas que poderiam causar sintomas similares.

De acordo com Fernando Amato, que é cirurgião plástico e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), a cirurgia deve ser a última opção: “Somente após tentar o tratamento clínico por um tempo que devemos indicar a lipoaspiração”.
Além do acompanhamento multidisciplinar, necessita que não haja o abuso de alimentos como carnes suínas e bovinas, embutidos, refrigerante, bebidas alcóolicas e produtos industrializados, que podem intensificar a inflamação do lipedema.

LEIA  Segs - Câncer de pele: cirurgião plástico explica os tipos mais comuns e orienta sobre prevenção

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Dr. Fernando Amato

Dr. Fernando Amato

Cirurgião Plástico CRM/SP 133826