Dieta ou cirurgia plástica?

Durante muitos séculos a obesidade foi vista como sinal de saúde e beleza. Os tempos mudaram, os costumes são outros, o conceito de beleza também não é mais o mesmo. Principalmente com a aquisição de conhecimentos, hoje, sabemos que a obesidade está associada à diversas doenças, e vem sendo considerada uma epidemia.

Apesar da fome ainda ser um problema importante no contexto mundial, o acesso a comida tornou-se mais fácil e barato. Para aumentar a durabilidade dos alimentos, torná-los mais atrativos e saborosos a industria acrescenta alguns produtos com valor nutricional questionável. Atualmente, no dia-a-dia, as refeições são feitas em breves momentos, porque quanto menos se perde tempo, mais se pode trabalhar.

A busca pela saúde e beleza continua sendo um foco de relevância na população, mas qual o melhor caminho para essa conquista?

Seria a cirurgia plástica o mais rápido e prático?

Algumas vezes a cirurgia estética pode trazer resultados insatisfatórios, principalmente quando os pacientes tem pressa em resolver seu problema. Diminuir a “barriga” com uma só cirurgia é possível? As incisões (“cortes”) são proporcionais à quantidade de tecido que se pretende retirar, assim como os riscos de um resultado ruim também aumentam, além de se aumentar as chances de complicações! Se há excesso de tecido não podemos nem pensar que uma “lipozinha” (lipoaspiração) vai resolver! Então vamos perder peso? Como começar? Qual dieta fazer? Não existe a dieta perfeita. O ideal é que cada um tenha sua dieta dimensionada para suas exigências nutricionais, factível para sua rotina diária e, principalmente, saborosa! A obesidade é uma doença multifatorial, portanto deve ser tratada não só por um médico, mas por uma equipe de especialista, que devem abordar a pressão alta, a diabetes, a coluna e outras doenças associadas.

Nem sempre a dieta associada à atividade física é suficiente para perder peso. Algumas vezes é preciso o auxilio de medicamentos, ou até mesmo de cirurgia bariátrica, em que se pode alterar tanto o tamanho do estômago, assim como a absorção intestinal dos alimentos, facilitando a perda de peso. Como todas as cirurgias tem suas indicações específicas e seus riscos que devem ser avaliados.

Depois de perder peso, seja por dieta, medicamentos, ou cirurgia, a pele já não é mais a mesma. Excessos de pele e flacidez não regridem,  principalmente no abdome e nas mamas

Neste momento, com mais saúde, a cirurgia plástica pode ser a indicação ideal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *